FrostWire novo no Linux.


Autoria: Alberto Federman Neto.

Introdução:

O FrostWire, antigamente, era apenas mais um cliente P2P , usado para baixar e compartilhar arquivos,  algo parecido com o Emule, Amule, MLDonkey, Shareaza  e muitos outros.

Tinha como diferenciais, conectar a várias redes ao mesmo tempo (descentralizadas ou não) e ser bem sofisticado visualmente (nesse aspecto, se assemelhava ao Limeware).

Nas suas versões mais novas, incluindo a atual, ele é bem mais que isso:

Agora é também um cliente para baixar Torrents, com reprodução e busca de arquivos multimídia (assemelhando-se ao Vuze, o antigo Azureous). Além disso, inclue Chat online, tocador para áudio e vídeo, cliente para Rádio na Web etc…

Eu gosto muito de FrostWire, uso a muito tempo,  tanto em Linux, como em Windows.

Porém, surprendentemente,  no Sabayon Linux e no Gentoo, as versões existentes são velhas!:

Frostwire para Sabayon

Frostwire para Gentoo

Se você usa  outras Distros, provávelmente achará versões novas nos repositórios para instalar, usando os procedimentos padrão de sua Distro favorita,ou pode baixar as mais recentes versões para Debian ou Ubuntu, no Site Oficial do Frostwire:

Frostwire para Debian e Ubuntu

Também achará Frostwire para Windows, MacOSX e Android.

Eu queria instalá-lo no meu Sabayon Linux.

Afortunadamente, o tarball do Frostwire é pré-compilado , basta expandir e executar. Em Sabayon funcionou, mas tenho em mente que funcionará em outras Distribuições também.

Instalação e Uso:

Primeira coisa, se você já usava FrostWire em versões antigas, precisa fazer backup dos arquivos que você baixou com ele, e depois precisa remover qualquer traço das versões antigas dele, no Sabayon.

Vamos ver como se faz isso. Há vários jeitos, mas vou apenas delinear o que acho mais prático.

Com os comandos abaixo, desinstale sua versão antiga de FrostWire:

# equo rm --configfiles frostwire
OU
# emerge -C --configfiles frostwire

Agora instale o pacote mlocate e atualize o banco de dados dele:

# equo i mlocate
# updatedb -v

Com o comando locate, localize qualquer arquivo ou pasta, que tenha o nome frostwire:

# locate frostwire | more

Usando um Gerenciador de Arquivos em modo Root (exemplo,abrir com: kdesu krusader), apague todos os arquivos que tiverem o nome frostwire, tanto da Raiz como do diretório /home. Se você usar KDE, sugiro que empregue o Krusader, que eu acho muito prático:

Krusader estável para Debian

Krusader em Sabayon

O Fabuloso Krusader

Você pode usar comandos rm , mas se houverem muitas ocorrências de frostwire, o Gerenciador de Arquivos é mais prático.

Removido tudo, resta apenas baixar o  tarball do Frostwire,  salvá-lo, expandí-lo e executá-lo. Ele não é um Fonte, já é pré-compilado, portanto, execute diretamente o Script (não o binário):

$ cd ~/
$ cd Desktop
$ mkdir Frostwire
$ cd Frostwire
$ wget http://www.frostwire.com/download/?os=tarball&
$  tar –zxvf frostwire-5.7.4.noarch.tar.gz
$ cd frostwire-5.7.4.noarch
$ ./frostwire

Se quiser, faça um Atalho para o Desktop. O comando que você deve colocar nesse atalho é este:

/home/seu_nome_de_usuario/Desktop/Frostwire/frostwire-5.7.4.noarch/frostwire

Se não funcionar:

Se não funcionar, é porque você tem uma versão antiga de Java. Atualize o Java da sua Distro.

Em Gentoo e Sabayon, é um pouco mais complicado, porque neles co-existem várias versões de Java . Atualize o Java de seu Sabayon, depois regule o Sistema para usar o Java novo, com os comandos abaixo:

# equo i jre jdk icedtea icedtea-web ----->>ISTO ATUALIZA TODO O SUPORTE JAVA
$ eselect java-vm list ------>> VEJA AS VERSOES DE JAVA QUE TEM, E ANOTE O NUMERO DO JAVA icedtea-7
# eselect java-vm set N ------>> N E O NUMERO DO icedtea-7
$ java-config -L -------->> ANOTE O NUMERO DO JAVA JDK VERSAO 7
# java-config -S N ------->> N E O NUMERO DO JDK VERSAO 7

Funcionando:

Eis o  FrostWire, funcionando no Sabayon:

FrostWire 5.7.4
FrostWire 5.7.4

 

Anúncios
FrostWire novo no Linux.

Um comentário sobre “FrostWire novo no Linux.

  1. edps disse:

    Rapaz, há muito tempo não uso programas feito esse, o Azureus, Deluge ou QBitTorrent, só uso o Transmission ou transmission-cli.

    O legal em ferramentas como essa é que não são meros clientes para determinado tipo de coisa, mas com o tempo incorporaram novas funções!

    t+

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s