Testando o Novo Sabayon Linux 18.07, em Pendrive de Boot, Persistente.


Autoria de Alberto Federman Neto, albfneto

Atualizado em 26 de Junho de 2018.

1. INTRODUÇÃO:

Após o pedido do time de desenvolvedores, para testar as novas ISOs Daily do Sabayon Linux, resolvi fazer uma instalação e testes.

Descrever essa instalação e testes, são o objetivo deste Artigo.

2. INSTALAÇÃO:

Baixei o Sabayon Daily Build, da futura versão 18.07. Usei a versão XFCE-Dev, de desenvolvimento, com repositório  Limbo ativado. Baixada do espelho Brasileiro:

Sabayon Linux Daily, 64 Bits, XFCE Devel, de 19 de junho de 2018.

Escolhi com o ambiente gráfico XFCE, porque é pequeno o suficiente para ser instalado em um pendrive bootável e persistente de 16 giga.

Baixada a ISO, eu a queimei como imagem, em um DVD, da maneira usual, empregando o K3B da minha outra instalação de Sabayon com KDE (meu Sabayon principal).

Dei boot com o Live DVD, escolhí a língua Português do Brasil e teclado brasileiro. O problema da incompatibilidade do mapa de teclado brasileiro, que ocorre em Sabayon e Gentoo, foi observado, mas ele não atrapalha a instalação, neste ponto.

Eis a tela do Sabayon novo, Live DVD.

Tela do Desktop do Sabayon, versão nova.

O Papel de Parede é multicolorido, mas eu acho bonito. O Live CD funciona bem, e todos os aplicativos podem ser acessados.

Para instalar, como não tenho muito espaço no HD (pois já tenho 2 Sabayons e um OpenSUSE no micro), escolhí instalar em um pendrive persistente de 16 giga, fazendo as partições no próprio pendrive.

De fato, já fiz isso várias vêzes, em Sabayon, OpenSUSE, Emmi Linux e mais recentemente,  RedCore. Para detalhes, veja este Artigo e referências citadas nele.

Para instalar, cliquei em “Install Sabayon”, ajustei para Brasil, Teclado Brasileiro, Fuso Horário América-São Paulo. Modifique para sua língua e região.

Até pouco tempo atrás, o Sabayon usava instalador Anaconda, mas agora, retornou (pois já o usara anteriormernte) ao instalador mais simples, o Calamares

replacing the Anaconda installer with Calamares

Com o Calamares, o Sabayon instalou mais facilmente, sem o erro de Python decorrente do problema do Mapa de Teclado Brasileiro, erro este que eu havia reportado a tempos atrás.

As partições: Para não modificar e nem danificar meus Linux do disco rígido, usei particionamento manual. Sendo um pendrive pequeno, só 16 Giga, fiz apenas duas partições: Uma Swap de 2 Giga e uma Ext4 de cerca de 14 giga. Veja abaixo (***).

Eis o novo Sabayon, futuro 18.07, sendo instalando no pendrive:

Instalando Sabayon Linux com Instalador Calamares.

Houve problemas em certas tentativas de instalação. Veja na Sessão 4.

3. BOOT E PÓS-INSTALAÇÃO:

Após a instalação, removi o live DVD e dei Boot no pendrive persistente.

Como gosto de fazer rotineiramente, criei minhas clássicas pastas: PACOTES, DOCUMENTOS e APLICATIVOS, aumentei os painéis superior e inferior para 45 Pixels, modifiquei as “Áreas de Trabalho” de duas para quatro. Tornei o Firefox o navegador padrão.

Acertei o relógio para 24 horas, com segundos e fuso horário América-São Paulo, GMT-3,  equivalente à “Hora de Brasília“. Ajustei os locales (veja Sessão 4).

Após mais personalizações, minha tela de Desktop está assim (substituindo a figura anterior):

Minha Tela de Desktop XFCE no Pendrive de Boot e Configurada.

O relógio analógico é Cairo-Clock (eu gosto), o tema do relógio é Golden  feito por Rapid Tihamer, FacSavar, Hungria.

No Painel superior, vê-se, da esquerda para a direita: Menu XFCE com ícone Sabayon, Localizador de Aplicativos~Monitor de CPU e disco (no caso o disco é o pendrive); Monitor de clima com endereço local, Ribeirão Preto; espaço livre no pendrive; Conexão de Rede; Monitor der decibéis; tocador de áudio XFCE; Mixer e relógio digital.

No Painel de baixo: exibir janelas; aplicativos abertos; terminal. RIGO. Firefox e editor Geany. Shotwell para capturar tela; áreas de trabalho; bloco de notas, botões de fechar sessão e desligar (sem bloqueio e nem hibernação, é um desktop grande); Lixeira e monitor de velocidade de rede.

o tema de cores do XFCE é Crux. Transparências de xfwm4 ativadas. Estilo do Gerenciador de Janelas é Jelly.

Tela do XFCE, mostrando transparências de Xfwm4 e barra de janelas Jelly.

Tema de ícones é Elementary e fontes são Liberation Serif Italic.

Alguns pacotes padrão do Sabayon Linux XFCE: O Gerenciador de Login é o Lightdm, com Tema modificado. O Editor é o Leafpad; o particionador é o GParted; o Editor de Menu é o AlaCarte; Tocador de áudio é o Audacious; de mídia é o VLC, os visualizadores de imagens são o Ristretto  e o Shotwell;Gerenciador de Arquivos é o Thunar. Compositor é o Xfwm4. Parte do  Shotwell é o capturador de telas. Suíte para escritório é o muito usado LibreOffice. Editor de Imagem é o GIMP. Cliente de Torrents é o Transmission.

Pacotes importantes ou essenciais, para que o Firefox e o LibreOffice fiquem em Português, por isso você precisa instalar. Pode usar RIGO ou os comandos:

 
# equo up
# equo i -av firefox-l10n-pt-BR libreoffice-l10n-pt_BR

Você também pode instalar mais coisas, se quiser. Os comandos são similares, basta substituir PACOTE ou PACOTES pelos pacotes que quiser. Ou use o RIGO (a interface gráfica do Entropy)

 
# equo up (atualiza os repositórios)
$ equo s PACOTE(S)(procura pacotes)
# equo i -av PACOTE(S)(instala pacotes)
# equo rm -av --configfiles PACOTE(S) (desinstala pacotes)

Exemplos do que instalei…. Eu gosto de Gerenciadores de Arquivos de árvore de diretórios dupla. Gosto do Krusader, mas ele tem muitas dependências de KDE. Por isso, preferi instalar o Gentoo File Manager. Também instalei aceleradores de download axel e aria2, gerenciador de janelas fluxbox (gosto quando preciso de rapidez para atualizar ou quando algo quebra o ambiente gráfico principal). Certos pacotes muito usados em distros tipo Gentoo, como git, eix, subversion e mercurial. Instalei Shells alternativos que uso: zsh e fish.Editor Geany.

Instalei também o tocador Pragha e o reprodutor de mídia Parole, o baixador de torrents Deluge, queimador de CDs e DVDs XfBurn. Também o mlocate  (um pacote para localizar arquivos com comando locate). Removi o Google Chrome, porque não uso.

Usando RIGO ou comandos, instalei os Plugins e Complementos do ambiente gráfico XFCE. Mais alguns Plugins para completar o XFCE:

 
# equo i -av xfce4-xkb-plugin xfce4-timer-plugin xfce4-sensors-plugin xfce4-netload-plugin xfce4-mount-plugin xfce4-linelight-plugin xfce4-kbdleds-plugin xfce4-embed-plugin

 

Modifiquei vários arquivos de configuração. Editei make.conf e client.conf, ajustei o Entropy para usar repositórios Brasileiros como principais, modifiquei ntp.conf , e meu ~/.bashrc. Não detalharei as modificações , pois não é o objetivo deste artigo, e já foram objeto de algumas outras publicações minhas.

Continuando a pós-instalação e os testes, publicarei  aqui, nas atualizações. Estou mexendo para colocar Compiz nele.

4. PROBLEMAS OBSERVADOS:

Houve alguns pequenos problemas durante a instalação. Na Sessão 2.  (***) ,falei das partições.

Na realidade, primeiro tentei fazer uma partição /boot separada no pendrive, mas não funcionou, porque o sistema não conseguiu gravar o GRUB na MBR do pendrive. Eu Já  havia usado partição de Boot separada no RedCore, mas no Sabayon não funcionou.

Outra coisa que não funcionou. Tentei usar partição Raiz em Reiserfs. (gosto porque é muito resistente a quedas de energia) Era muito usado nos Sabayon Linux antigos.

Mas na versão nova. ao tentar, o instalador reporta um erro de “not able to unsquash file system” e aborta. Não é problema sério, pois o Reiser é sistema de arquivos  antigo. Usei a clássica Ext4 para a Raiz.

Não testei EFI e nem GPT, porque meus micros não tem, e não testei LVM, nem btrfs, porque não gosto muito.

Após a instalação no pendrive, mesmo eu escolhendo Português do Brasil e locale Brasil, estava tudo em Inglês!. De fato, isto é comum em ambiente gráfico XFCE e eu já havia observado isso em Sabayons antigos.

O comando:

 
$ locale

Mostrava zilhões de locales…. até Sueco, Russo, Japonês! Rsrrsrsrsrsrrs! Ajustar pela interface gráfica, não foi o suficiente. Continuava tudo em Inglês…

Sei que dá para regular usando o Systemd, mas eu prefiro os procedimentos mais clássicos.

Ajustei combinando dois antigos procedimentos meus, com estes  e com o recente método do colega do Viva o Linux, Gabriel Henrique.

Inicie o Sabayon Linux instalado, em Inglês mesmo. Abra um terminal (em XFCE, o terminal padrão é o xfce-terminal). Abra um editor de texto em modo root, com sudo gráfico (no Sabayon XFCE, o editor padrão é o Leafpad):

 
$ gksu leafpad

Edite o arquivo /etc/locale.gen , e apague todas as linhas da maior parte das línguas que não vai usar. No meu caso, deixei apenas Português Europeu, Português do Brasil, Inglês Britânico e Inglês Americano:

 
pt_BR.UTF-8 UTF-8
pt_BR ISO-8859-1
pt_PT.UTF-8 UTF-8
pt_PT ISO-8859-1
pt_PT@euro ISO-8859-15
en_GB.UTF-8 UTF-8
en_GB ISO-8859-1
en_US.UTF-8 UTF-8
en_US ISO-8859-1

Se quiser, deixe só Português. No mesmo Editor de Texto, edite o arquivo: /etc/env.d/02locale e o deixe assim:

 
LANG="pt_BR.UTF8"
LANGUAGE="pt_BR.UTF-8"
LC_NUMERIC="pt_BR.UTF-8"
LC_TIME="pt_BR.UTF-8"
LC_MONETARY="pt_BR.UTF-8"
LC_MEASUREMENT="pt_BR.UTF-8"
LC_MEASUREMENT="pt_BR.UTF-8"
LC_COLLATE="C"

Execute em um terminal os comandos:

 
$ echo $LANG Se estiver regulado para o Inglês, 
Execute: 
$ export LANG=pt_BR.UTF-8 

No terminal, execute este comando, como Root, ou com sudo:

 
$ sudo locale-gen

Isso gerará os “locales” adequados. Agora, selecione o locale e acerte as variáveis de ambiente:

 
$ sudo eselect locale set pt_BR.UTF8
$ sudo env-update
$ source /etc/profile

Feche o Editor, os terminais, feche a sessão e reinicie o micro. Se você fez certo, tudo  (ou quase tudo) já deverá estar em Português do Brasil.

Se algo estiver errado, para checar, use os comandos:

 
$ locale
Se correto,verá algo assim:
LANG=pt_BR.UTF8
LC_CTYPE="pt_BR.UTF8"
LC_NUMERIC=pt_BR.UTF-8
LC_TIME=pt_BR.UTF-8
LC_COLLATE=C
LC_MONETARY=pt_BR.UTF-8
LC_MESSAGES="pt_BR.UTF8"
LC_PAPER="pt_BR.UTF8"
LC_NAME="pt_BR.UTF8"
LC_ADDRESS="pt_BR.UTF8"
LC_TELEPHONE="pt_BR.UTF8"
LC_MEASUREMENT=pt_BR.UTF-8
LC_IDENTIFICATION="pt_BR.UTF8"
LC_ALL=
E:
$ cat /etc/locale.conf
Se correto,verá algo assim:
LANG="pt_BR.UTF8"
LANGUAGE="pt_BR.UTF-8"
LC_NUMERIC="pt_BR.UTF-8"
LC_TIME="pt_BR.UTF-8"
LC_MONETARY="pt_BR.UTF-8"
LC_MEASUREMENT="pt_BR.UTF-8"
LC_MEASUREMENT="pt_BR.UTF-8"
LC_COLLATE="C"

Observação: Sabayon é Rolling Release. Quando ele for atualizar, ao trocar a versão de glibc, ele pode modificar e trazer as línguas todas de volta. Para evitar, quando sistema pedir para você executar “equo conf update” não esqueça de não modificar locale.gen e locale.conf.

Anúncios
Testando o Novo Sabayon Linux 18.07, em Pendrive de Boot, Persistente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s