Usando o TestDisk, Para Recuperar Arquivos. Procedimento Geral.


Autoria de Alberto Federman Neto, albfneto

Atualizado em: 27 de Agosto de 2018.

1 . INTRODUÇÃO:

Tive, a poucos dias, um problema. Um de meus pendrives estava corrompido, ele não lia mais, nem montava, e no Gparted, aparecia como inteiramente “não alocado”. Eu tinha muitos dados (uns 30 Giga) nele!

Precisei recuperar. Para esses casos, muitos de nós, Linuxers, usamos o TestDisk. Então, pensei: por que não aproveitar  a oportunidade, e explicar para o Iniciante, como se usa o TestDisk?

2 . OBTENDO TESTDISK:

Há vários jeitos de se ter acesso ao TestDisk. Você pode instalar o pacote testdisk pelo procedimento normal da sua distro, no seu HD mesmo, no seu Linux de trabalho.

Mas se trata de uma recuperação de dados, por isso, eu particularmente, gosto de trabalhar em um ambiente Live CD, porque é “meio que isolado” das minhas partições do disco rígido. isto é, partições que não vou usar no momento, não precisam sequer serem montadas. Eu acho mais seguro.

Você pode obter o TestDisk, baixando-o do Site Original. Assim, por exemplo, a versão para Linux de 64 Bits.

Ele também existe na forma de uma ISO, que pode ser queimada em um  CD, de maneira usual, usando um programa adequado, tipo Brasero, K3B, GNOME-Baker ou XFBurn.

Também pode ser obtido por ser um aplicativo interno, dentro de vários CDs recuperadores como o Gparted Live CD, System Rescue CD, o Hiren’s Utilities, o PartedMagic etc…

Portanto, primeiro, obtenha o seu TestDisk.

3 .  RECUPERANDO COM TESTDISK:

Observação: nem sempre conseguirá recuperar tudo e lembre, estes procedimentos são para serem executados para recuperar dados corrompidos. Não o faça em um pendrive ou HD em bom estado. Para testar em um pendrive bom, grave nele antes dados que você não se inporta em perder!

Isso porque, aplicado a dados bons, o TestDisk pode até danificá-los, pois ele reconstrói a partição. Faça por sua conta e risco, portanto.

Observação 2: TextDisk funcionará em um Boot Live, também funcionará em qualquer Linux mas funcionará até em Windows, porque tem versões para Windows, também.

Acesse o seu TestDisk. Isso pode ser feito com o comando “testdisk”, ou procurando no Menu do seu CD Recuperador (em Boot Live).

No meu caso, por comodidade, usei o Boot Live no Parted Magic, dentro do meu CD Recuperador do Ultimate Boot CD (objeto de um recente artigo meu). Ele tem dentro, o TestDisk.

O Terminal Linux do Ultimate Live CD – Parted Magic, é o ROXTerm e o Gerenciador de Arquivos, o PCManFM.

Você vai precisar de uma partição ou pasta vazia no seu HD, para onde vai copiar os arquivos recuperados. Use uma pasta vazia ou, caso não a tenha, crie e vá, entre nela.

Lembre que essa partição precisa ser de tamanho igual ou maior do que os dados a serem recuperados do pendrive.

Eu usei uma partição minha, uma NTFS de Backup, que eu tenho no HD. No caso, é a auto montada (no Boot Live) em  /media/sda1-ata-ST1000VM002-1CT1 (na dúvida, é simples, olhe no seu gerenciador de arquivos).

Na partição, criei uma pasta auxiliar que chamei de  teste e entrei nela:

 
# cd /
# cd media/sda1-ata-ST1000VM002-1CT1
# mkdir teste
# cd teste

Abri o terminal nessa pasta, e digitei “testdisk”. Isso abre o programa.

Agora espete seu pendrive corrompido, “estragado”, na porta USB…

O muito conhecido comando “fdisk -l”, te mostrará qual é o ponto de montagem automático do pendrive. espetado … no meu caso, era o /dev/sdc .

Pois, sda é meu HD principal (em cuja pasta /media ,está montada a NTFS do meu computador, sda1) e sdb é o SSD com Windows.

# fdisk -l
Disk /dev/sda: 1000.2 GB, 1000204886016 bytes, 1953525168 sectors
Units = sectors of 1 * 512 = 512 bytes
Sector size (logical/physical): 512 bytes / 4096 bytes
I/O size (minimum/optimal): 4096 bytes / 4096 bytes
Disk label type: dos
Disk identifier: 0x6af83133

Dispositivo Boot Start End Blocks Id System
/dev/sda1 * 2048 512002047 256000000 7 HPFS/NTFS/exFAT
/dev/sda2 512002048 528386047 8192000 82 Linux swap / Solaris
/dev/sda3 528388096 774148095 122880000 83 Linux
/dev/sda4 774148096 1953523711 589687808 f W95 Ext'd (LBA)
/dev/sda5 774150144 1183750143 204800000 83 Linux
/dev/sda6 1183752192 1388552191 102400000 83 Linux
/dev/sda7 1388554240 1638950911 125198336 83 Linux
/dev/sda8 1638952960 1953519615 157283328 83 Linux

Disk /dev/sdb: 120.0 GB, 120034123776 bytes, 234441648 sectors
Units = sectors of 1 * 512 = 512 bytes
Sector size (logical/physical): 512 bytes / 4096 bytes
I/O size (minimum/optimal): 4096 bytes / 4096 bytes
Disk label type: dos
Disk identifier: 0xcc9f48b4

Dispositivo Boot Start End Blocks Id System
/dev/sdb1 * 2048 206847 102400 7 HPFS/NTFS/exFAT
/dev/sdb2 206848 234440703 117116928 7 HPFS/NTFS/exFAT

Disk /dev/sdc: 31.3 GB, 31268536320 bytes, 61071360 sectors
Units = sectors of 1 * 512 = 512 bytes
Sector size (logical/physical): 512 bytes / 512 bytes
I/O size (minimum/optimal): 512 bytes / 512 bytes
Disk label type: dos
Disk identifier: 0x171a05bf

Portanto, preste bastante atenção e memorize ou anote, onde está o seu pendrive. O meu era sdc.

aberto o TestDisk, aperte Enter para criar o arquivo de log. Selecione a partição do pendrive defeituoso:

Acessando o Pendrive Corrompido, no TestDisk.

Dê Enter, para proceder (proceed), escolha “Intel/PC-Partition” (ou “EFI-GPT“, se seu micro novo o tiver). dê enter em “Analyse“. Isso vai analisar as partições:

Analisando  Partições  a Serem Recuperadas com TestDisk.

Aparecerá uma mensagem da partição (no caso do meu pendrive,  claro, é partição não bootável). Selecione a partição, dê “Enter“:

e a opção Quick Search” ficará realçada. Dê “Enter” novamente, isso fará o TestDisk procurar a partição.

Achou, selecione-a com as teclas “Para Cima” ou “Para Baixo“,  escolha, e aperte as teclas SHIFT+P (p maiúsculo)  e dê enter. Isso deverá achar e listar os arquivos.

Atenção se algo aparecer em vermelho…  ou nomes estranhos, diferentes.

Serão arquivos deletados (ou muito danificados) que possivelmente, não poderão ser mais recuperados (no meu caso, eram 3 arquivos)

O TestDisk Mostra que alguns arquivos estão deletados ou muito danificados.

Caso isso ocorra para você, aperte a tecla “h” (Hidden), para esconder os arquivos deletados, depois a tecla “q” para sair e escolha “Deeper Search” e dê “Enter

Procurando Novamente os Arquivos, com a Opção Deeper Search do TestDisk.

Após a busca, um pouco demorada, , aperte SHIFT+P (p maiúsculo) para  listar e mostrar os arquivos, a tecla “a” para selecionar todos os arquivos, aperte a tecla w (write, para gravar) e eis o milagre da recuperação! TestDisk funcionou!

Selecionando e Recuperando os Arquivos, no TestDisk.

Achou todas a minhas pastas de músicas, em um pendrive que não lia mais nada….

Aperte SHIFT+C (c maiúsculo) para copiar todos os arquivos recuperados (lembre que deve estar na  mesma partição ou pasta para onde deseja copiar os arquivos).

Partição Para os Arquivos das Músicas Recuperadas. Copiando…

Vejam que no meu caso, os arquivos recuperados foram copiados para o diretório: media/sda1-ata-ST1000VM002-1CT1/teste , minha partição NTFS de backup, sda1:

Músicas Sendo Copiadas Para a  Pasta de Recuperação (Vista, à Esquerda)

Para vocês, os arquivos estarão na pasta especificada onde vocês usarem o TestDisk.

Quando acabar de copiar tudo, pronto, seus arquivos estão recuperados. Já pode fechar o terminal do TestDisk. Reinicie o micro e vamos ver o que fazer com os arquivos recuperados.

4. ARQUIVOS RECUPERADOS:

Resetado o micro, sai do Boot do Ultimate Boot CD, e entrei no meu Linux principal, o Sabayon.

Usando Gparted, eu regravei a tabela de alocação das partições do pendrive. Isso apagou todos os dados corrompidos. Como não tenho EFI, usei tabela tipo msdos , clássica.

Regravada a tabela, formatei o pendrive em fat32 (é para ser usado em vários computadores e aparelhos eletrônicos que geralmente usam fat32).

Agora, simples, copiei os arquivos recuperados do diretório, para o pendrive. Como eram muitos arquivos, por simplicidade, usei o Gerenciador de Arquivos Dolphin, do Sabayon KDE.

Copiando os Arquivos Recuperados Para o Pendrive, Usando Dolphin em Sabayon Linux com KDE.

Pronto, tudo recuperado! Espero ter ajudado quem precisa usar TestDisk.

Anúncios
Usando o TestDisk, Para Recuperar Arquivos. Procedimento Geral.

Um comentário sobre “Usando o TestDisk, Para Recuperar Arquivos. Procedimento Geral.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s