Navegadores Opera Developer e PaleMoon, em Sabayon Linux.


Autoria de Alberto Federman Neto, albfneto

Atualizado em23 de Abril de 2018.

1 . INTRODUÇÃO:

Neste Artigo, como instalar e usar os Navegadores Opera e PaleMoon no Sabayon Linux.

Navegadores, eu uso muito mais o Firefox. do qual sou testador Beta, e fui um dos tradutores, por anos, porque eu usava Netscape e fui um dos tradutores dele.

Por outro lado como um velho e bom Dinossauro da Computação, eu gosto de testar pacotes. Então, de vez em quando, uso vários outros Navegadores, como o Opera, o SeaMonkey, Vivaldi, Maxthon, Qupzilla (outro artigo).

Interessante é o Web, também chamado GNOME-Web, o antigo Epiphany, O Motor dele é chamado webkit e é eventualmente usado como navegador independente, na forma de webkit-gtk, por exemplo em Sabayon e Gentoo.

Até, muito eventualmente,  uso Chromium, Google Chrome ou Midori embora, eu não goste muito. O Midori eu não gosto porque é muito instável, fecha sozinho. Quanto ao Chromium e o Chrome, são muito clean pro meu gosto… Você fica procurando onde clicar! rsrsrsr, e são pesados

Neste Artigo mostro como se instalam as versões mais novas do Opera e do PaleMoon, no Sabayon Linux, em Português do Brasil.

2. OPERA:

o Sabayon tem o Opera nos repositórios, mas são versões mais antigas.

Querendo a versão mais recente, você precisa usar as versões do Gentoo, compiladas com Portage. No Gentoo, você achará o Opera. Opera-Beta e Opera-Developer . Geralmente, a versão Opera-Developer é a mais nova, mas às vêzes, é a versão Opera-Beta.

Para usar Portage em Sabayon, é preciso antes, fazer certas modificações. Consulte e siga o descrito nestes meus Artigos:

Equalizadores Bons em Sabayon.

Filezilla, Compilado com Portage, em Sabayon Linux.

Usando Portage em Sabayon Linux. Método Geral, Passo a Passo.

Feito isso e as modificações necessárias,  atualize os repositórios do Portage, e procure qual o Opera mais recente. Isto pode ser feito com os comandos:

# emerge --sync
$ emerge s opera OU
$ eix opera      OU
$ esearch opera
 

Ao tempo da atualização deste Artigo, o Opera mais recente é o Opera-Developer-54.0.2929.0. É fácil instalar. Portage normal, já compilando direto em Português do Brasil

 
# LINGUAS="pt_BR" L10N="pt-BR" emerge -av opera-developer

Demora um pouquinho para compilar. “tenha Paciência” Rsrrsrsrsrsr!  Vá tomar…. um Café! Rsrsrsrsrrs!”. Dependências são baixadas e instaladas automaticamente.

Compilado, o Opera-Developer. Eis ele, aberto:

Navegador Opera, Versão Nova. Opera -Developer. Em Sabayon Linux, Sessão Aberta em XFCE.

3. INSTALAR PALEMOON PRÉ COMPILADO, MÉTODO NOVO, COM PORTAGE:

Este é o mais recente e mais fácil método, de Abril de 2018.

O Overlay Palemoon, agora tem a última versão, já pré compilada, e que não necessita de usar uma versão antiga do GCC.

Eis como se instala:

Edite o seu arquivo /etc/entropy/client.conf , procure a linha escrito: “Ignore Pseudo Downgrades” e troque “Disable” por “Enable“. Salve o arquivo.

Atualize o Banco de Dados do Portage, adicione o Overlay Palemoon e instale o Pacote. Tudo pode ser feito com os comandos:

 
# emerge --sync 
# layman -a palemoon
# layman -S
# emerge -av palemoon-bin

Eu pedi ao Time Sabayon para testar e empacotar para o Entropy. Em breve, poderá estar nos repositórios do Sabayon.

Pronto. Para métodos mais antigos, veja Itens 4-7. Estão listados e descritos, pois tem interesse apenas teórico ou histórico ou de estudo, neste Artigo, mas você pode considerá-los obsoletos.

Para deixar o PaleMoon em Português do Brasil, veja Item 8.

4. INSTALAR PALEMOON. MÉTODO COM PORTAGE:

O bem menos conhecido PaleMoon, é um Navegador de Internet derivado do Firefox, portanto usando engine Gecko-Mozilla clássico.

Ele não está nos repositórios do Sabayon, no momento, embora eu pedí para o Time compilá-lo e adicioná-lo nos repositórios Sabayon.

Para instalar, use o Portage. porém aqui, há necessidade de fazer modificações na compilação, o que descobrí ao tentar compilar….

Primeiro, ele não compila  em Sabayon, com o GCC mais recente. Dá mensagens de compilador não suportado, Precisa usar um GCC-4.9.

Depois, ele aceita e usa FLAGS de compilação de áudio, mas só aceita ou alsa ou pulseaudio e não as duas ao mesmo tempo. Como meu Sabayon tem Pulseaudio, eu compilei com essa FLAG.

Ainda, ao verificar as versões, as mais recentes estão no Overlay Octopus e no Overlay Rasdark, mas são apenas Patchs da última versão estável (esta, no Overlay Palemoon). Além disso, estão mascaradas (versões 9999).

Tentei compilar as versões do Overlay Octopus , mas elas precisavam de ffmpeg (que no Sabayon linux, foi substituído pelo libav) . A compilação final ainda traria muitas dependências diferentes, que iriam modificar muito meu sistema.

Optei pela versão oficial estável: PaleMoon-27.4.2, do Overlay de mesmo nome. Mesmo assim, precisa desmascarar, só compila com GCC mais antigo, e não tem versão direta em Português do Brasil.

Mas executando os comandos abaixo, na ordem, ele compila e instala.

A minha instalação, foi feita após testes e tentativas várias, finalmente,  com estes comandos:

 
# emerge --sync (1)
# gcc-config -l (2)
# gcc-config 1   (3)
# env-update    (4)
$ source /etc/profile (5)
# layman -a palemoon  (6)
# layman -S (7)
# echo '=www-client/palemoon-27.4.2'  /opt/sabayon-build/conf/intel/portage/package.unmask/sabayon.package.unmask (8)
# USE="-alsa" emerge -av palemoon (9)
# gcc-config 6 (10)
# env-update   (11)
$ source /etc/profile (12)

Para que o leitor entenda, eis tudo o que os comandos fazem:

(1) Atualiza os Repositórios do Portage.

(2) Lista as versões instaladas de GCC.

(3) Troca o GCC para o que funciona, o 4.9.3.

(4) e (5) Atualizam as variáveis de ambiente.  Obs. Em Sabayon, não rode comando “source” como Root.

(6) Adiciona o Overlay Palemoon. Overlays são os repositórios de terceiros, que contém “pacotes” não encontrados na árvore Portage do Gentoo. Em outras palavras, são os “PPAs” do Gentoo. Convém lembrar porém, que nos repositórios, o Portage não tem pacotes binários, tem fontes que serão compilados. Portanto os Ebuilds não são pacotes, são Scripts especiais que guiam o processo de compilação.

(7) Atualiza os Overlays.

(8) O comando de “echo” desmascara a versão a ser instalada, adicionando a linha entre aspas, no arquivo adequado. Alternativamente, como root, abra seu editor e edite o arquivo:

/opt/sabayon-build/conf/intel/portage/package.unmask/sabayon.package.unmask

colocando nele a linha: =www-client/palemoon-27.4.2

(9) É o comando mais importante, é o que compila e instala o PaleMoon, modificado para remover a FLAG alsa, deixando a FLAG pulseuadio. Alternativamente, use o comando “emerge -av palemoon-bin” , se preferir o pacote pré-compilado.

(10) Este comando volta o GCC para a versão atualizada, a 5.4.0.

Finalmente, os comandos (11) e (12) reajustam as variáveis de ambiente (necessário, pois o GCC havia sido trocado).

Aqui está o Portage, compilando o PaleMoon:

Compilando e Instalando o Navegador PaleMoon, com Portage,

5. INSTALAR PALEMOON, MÉTODO COM PORTAGE MODIFICADO.

Tem uma outra maneira, com Portage, que facilita um pouco a instalação. É baseado neste tutorial do Gentoo.

Se você já tinha adicionado o Overlay Palemoon, remova-o. Adicione a linha: PORTDIR_OVERLAY=”/usr/local/portage/ ${PORTDIR_OVERLAY}” ao seu make.conf, e a linha conf_type : repos.conf no seu arquivo layman.conf.

Depois, readicione o Overlay Palemoon e compile o PaleMoon  usando esse Portage modificado, ou com a FLAG “alsa” ou com a FLAG “pulseaudio” Tudo isso pode ser feito com os comandos abaixo:

 
# emerge --sync  
# gcc-config -l
# gcc-config 1 (compilador 4.9)
# env-update  
$ source /etc/profile 
# layman -d palemoon  
# echo '<span class="postbody">PORTDIR_OVERLAY="/usr/local/portage/ ${PORTDIR_OVERLAY}" </span>' /opt/sabayon-build/conf/intel/portage/make.conf.amd64
# echo '<span class="postbody">conf_type : repos.conf</span>' /opt/sabayon-build/conf/intel/portage/repos.conf/layman.conf
# layman a palemoon
# USE="-alsa pulseaudio" emerge -av palemoon 
# gcc-config 6 
# env-update 
$ source /etc/profile 

6. INSTALAR PALEMOON, MÉTODO MANUAL, COM O PACOTE PRÉ COMPILADO.

Crie uma pasta no seu Desktop, baixe o pacote do PaleMoon (com o navegador ou com wget, curl, aria2, axel etc….), expanda  e execute o Script de instalação. Tudo pode ser feito com os comandos:

 
$ cd /
$ cd ~/Desktop
$ mkdir PaleMoon
$ cd PaleMoon
$ wget http://linux.palemoon.org/datastore/release/pminstaller-0.2.4.tar.bz2
$ tar xvjf pminstaller-0.2.4.tar.bz2
$ sh pminstaller.sh

Este, ao me ver é o jeito mais fácil e deve funcionar em todas as Distros.

Eis o PaleMoon. 27.7, Inglês, instalado por este método:

PaleMoon 27.72.

7. OUTRAS MANEIRAS DE INSTALAR PALEMOON:

Apenas cito outras maneiras de instalar, algumas mais complicadas mas outras, simples

Expandindo PaleMoon totalmente precompilado.

Usando o PaleMoon precompilado e Unstable.

Baixe, expanda e execute diretamente o Script interno. Eis o PaleMoon, 27.8 Alfa 1, instalado por esse método, em Sabayon Linux 18.01. O Tema é Walnut:

PaleMoon 27.8.

Usando PaleMoon Fonte e do GIT.

Maneira Recomendada para o Gentoo, pelo Time PaleMoon. Ao meu ver é complicada!

8. AJUSTAR PARA PORTUGUÊS DO BRASIL:

Como vimos nas instalações, o PaleMoon não compila e nem instala direto em Português do Brasil.

Após a instalação, abra o Navegador. Ele vai estar em Inglês. Navegue até esta Home-Page:

PaleMoon Add-Ons, Language Packs.

Baixe o pacote de linguagem: Português do Brasil. Quando ele baixa, no PaleMoon, a instalação do pacote de linguagem é automática. Se ele não instalar, vá no Menu, “Arquivo”, “Abrir Arquivo” e abra o XPI que acabou de baixar.

Depois vá em “PaleMoon Locale Switcher“, e o instale, ou vá direto na página do “Locale”:

PaleMoon Localization Releases.

e clique no XPI de Português do Brasil.

Pronto, agora e só fechar e reabrir o PaleMoon, e ajustar o Locale para Brasil. Vejam abaixo, o PaleMoon, versão 27.9.0 de Abril de 2018.

Navegador PaleMoon, Versão 27.9.0, em Sabayon Linux KDE 18.05.

É um Navegador que gosto bastante. Leve, rápido com vários complementos.

Tem uma aparência Retrô, mas eu gosto. Me lembra muito o SeaMonkey.

Experimentem o PaleMoon.

Navegadores Opera Developer e PaleMoon, em Sabayon Linux.

3 comentários sobre “Navegadores Opera Developer e PaleMoon, em Sabayon Linux.

  1. Eu ainda gosto de usar o velho Opera 12.16.1860, mas também uso o novo Opera (no SlackBuilds sou o mantenedor de todos os Opera’s), e também era do Vivaldi.

    Acho o Palemoon muito superior ao Firefox em relação ao consumo de recursos.

    No Gentoo, não tenho porque do reclamar do Google Chrome, roda muito bem mesmo eu estando a utilizar uma máquina de 10 anos atrás!

    Como sempre, vc e suas excelentes contribuições, thanks!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s